quarta-feira, 27 de maio de 2009

Manifestação de estresse nos felinos


Manifestações do Estresse


Quando um gatinho amigável, brincalhão e extrovertido subitamente torna-se nervoso e agressivo, fica óbvio para o seu dono que o gato está estressado. O estresse pode não ser notado tão facilmente em gatos tímidos ou introvertidos cujo estresse se mostra através de uma postura imóvel, isto é o gato permanece sentado por um longo período de tempo imóvel/quieto, sem ser notado . Os gatos manifestam estresse de formas diferentes dependendo de suas personalidades. Eysenck (1960), que pesquisou as manifestações do estresse em humanos, sugeriu que a posição adotada em indivíduos neuróticos numa escala de introversão/extroversão, determinava o nível do comportamento neurótico que ela se encontrava. Ele descobriu que os introvertidos tendiam a ser vítimas de fobias ou sintomas obsessivos enquanto que os extrovertidos eram mais propensos a ataques histéricos ou possuiam comportamento auto-destrutivo ou antisocial. O mesmo pode aplicar-se aos gatos.

Causas externas de estresse em gatos

Gatos não lidam bem com mudanças de ambiente. Mesmo mudanças sutis em um ambiente podem levar o gato ao estresse, alterações substanciais, tais como: nova casa, um novo bebê, um cônjuge, ou outros animais domésticos, podem ter efeitos devastadores.

Mudança para uma nova residência: Em uma mudança é necessário que cuidados sejam tomados para que a vida de seu gato seja incomodada o menos possível. Durante o processo de mudança é necessário deixá-lo fechado em um quarto separado mas de posse de seus objetos preferidos: brinquedos, caminha, roupas com seu cheiro e até algo de seu dono além de comida, água, até a completa mudança da casa. Depois que a mudança for concluída para a nova casa, aí sim, trazer o gato e todos os seus pertences e colocá-lo em um quarto seguro, até a sua adaptação, enquanto você desempacota o resto da mudança e reorganiza na nova casa. Tendo suas próprias coisas ao seu redor irá ajudá-lo a entender que ele está "em casa". No caso de uma mudança de longa distância (outro estado ou país)onde o transporte do gato será por avião, trem ou automóvel nunca deixe-o ir desacompanhado. Tenha sempre uma pessoa que o acompanhe e não esqueça de deixar sempre junto a ele seu brinquedo favorito, seu cobertorzinho, almofada e/ou outros objetos a que ele esteja acostumado e sua caixa de transporte.

Um novo trabalho: Um novo emprego ou mudança na rotina diária do dono, também deve ser tratado com antecedência. Uma semana antes do início da nova atividade, comece a sair de casa de tempos em tempos, aumentando este período de ausência gradualmente ao longo da semana . Antes de sair, segure o gato e diga a ele, "eu vou estar longe por um tempo, mas prometo voltar com você. Eu te amo e vou sentir saudades, e vamos nos divertir juntos quando eu voltar". Quando retornar à casa brinque bastante com seu gato, dê-lhe atenção para compensar a sua ausência. Carregue-o pela casa e pergunte-lhe como foi seu dia. Treinando-o desta forma o gatinho estará habituado às suas ausências quando estiver fora trabalhando e aguardará ansioso a sua chegada para curtir as brincadeiras e a sua presença.
Festas barulhentas, fogos de artifícios: Feriados e Festas Comemorativas são especialmente estressante para os gatos, especialmente aqueles em que existem queima de fogos de artifícios e bombas tais como Festas Juninas, Campeonatos de Futebol, Natal e Reveillon. Grandes festas onde a campainha da casa não para de tocar, pessoas falando muito alto, acompanhado de música alta, farão com que seu gato fuja e se esconda do ambiente.
A vista através da janela: Outra causa de estresse externo muito frequente é a redireção de agressão (para um humano ou outro animal). Isto acontece quando um gato doméstico está sentado em seu beiral de janela favorito, observando o que acontece em seu território lá fora. De repente, ele vê um gato estranho, passeando em seu quintal. Frustrado porque ele não pode sair fora para defender o seu território, o gato de repente ataca o ser que estiver mais próximo, seja ele um outro gato ou até o seu próprio humano. Lidar com essa forma de agressão apela para o pensamento criativo, o que inclui manter seu gato longe da janela, criando barreiras de sua visão da janela até que você tire o gato estranho do jardim.
Novos membros na família (humanos ou animais) - gatos podem reagir de diferentes formas com novos membros na família inclusive com agressão, isolamento temporário e até distúrbios de eliminação de fezes e urina fora da bandeja de areia. Cabe ao dono do gato uma lenta introdução do jovem membro ao lar (um bebê, um namorado(a), fazendo com que o gato se habitue a novos cheiros e atividades na casa mas sempre lembrando-o que ele continua sendo muito importante e amado por você.

Manifestações comuns de estresse em gatos:
  • Eliminação de fezes e/ou urina fora da bandeja de areia;
  • Comportamentos de marcação territorial, incluindo a pulverização de urina;
  • Auto-mutilação;
  • Imobilidade (depressão) e/ou isolamento temporário
  • Redirecionamento da agressão (para as pessoas ou outros animais);
  • Vocalização excessiva;
  • Perda de apetite;
  • Inquietação.
Todos esses comportamentos podem também ser sintomas de outras doenças, por isso é importante levar o gato ao veterinário o mais rapidamente possível para afastar as hipóteses de problemas de saúde como sendo a causa para o comportamento aberrante.
Stress relacionado com a pulverização de urina/demarcação de território.
Uma das respostas mais comuns ao estresse felino é a eliminação inapropriada da urina ou fezes. A bexiga é o alvo do estresse no gato. Se a fonte de estresse é a bandeja de areia (muito suja, muito perfumada), então a urina e/ou fezes será muitas vezes depositada fora da bandeja de areia.
Se o gato está experimentando uma ansiedade ao notar que o território externo (vista da janela) está ocupado por outros gatos, cachorros e outros animais ao redor, então o gato começará a urinar instintivamente nas janelas, portas, cortinas ou objetos na sala proximo às janelas para demarcar sua área. Bloquear a visão do gato do exterior pode ajudar a eliminar esses problemas de marcação de território.
Outra hipótese é a de que o gato também esteja sendo acuado por um outro gato na família. Um gato mais dominador esteja criando bloqueios em seu caminho para a bandeja de areaia ou ele está com medo de passar pelo território do outro gato para chegar até a bandeja de areia.
Quando o gato urina na frente do dono ou nas camas, móveis ou roupas, a mensagem é clara de que o gato tem um grave problema de saúde, ou que ele está gravemente estressado por algo ao seu redor.
Se ele escolhe a cama ou roupas de uma determinada pessoa para servir de seu toilete, geralmente significa que esta pessoa é a fonte de sua ansiedade. Pode ser uma mensagem positiva ou negativa. Provavelmente, o gato está exibindo ansiedade pela separação do dono, ou conflito de status na casa. Se esta pessoa estranha ao gato começar a dar a comida ou petiscos para ele e a tratá-lo com mais atenção, este problema poderá ser resolvido. Também é necessário manter a roupa e outros objeyos da pessoa estranha longe da vista do gato por algum tempo. Alguns problemas de estresse do gato relacionados com comportamento podem ter um resultado melhor através de uso de medicamentos anti-depressivos. Drogas anti-sedativas podem também ser utilizadas mas somente o seu veterinário saberá a melhor forma para sanar este problema.
Tradução livre de artigos nos sites:

Cats International
About Cats

Devido a constantes comentários neste post e como utilizo os Florais de Bach em casa constantemente e tenho sempre bons resultados, resolvi complementa-lo com este livro que sempre me auxilia e que recomendo a todos que o adquiram. Este livro é bem fácil de ser encontrado em boas livrarias de todo o Brasil:

Livro: Remédios Florais de Bach para Animais
Autores: Helen Graham e Gregory Vilams
Ed. pensamento
Valor aproximado do livro: R$ 24,00

Além da indicação acima quero complementar um artigo escrito pela Dra. Martha Follain, especialista na aplicação de terapia floral em animais e humanos.

“ Devemos ser mais tolerantes, indulgentes e compreensivos quanto às diferentes formas pelas quais cada indivíduo e cada coisa trabalha pela sua perfeição final. “
Edward Bach 

Apesar de seus ancestrais existirem há mais de 12 milhões de anos, os gatos foram domesticados há cerca de 4 mil anos. Os antigos egípcios foram os primeiros a usá-los no controle de animais daninhos, que atacavam seus estoques de grãos.
Os estudiosos consideram que, os gatos, ainda não estão totalmente domesticados. Gatos respeitam territórios e não um líder. Não se tem uma dominância completa. A hierarquia é, principalmente, linear.
Os gatos comunicam-se pelo odor, através da urina. Demarcam território através da urina e, não gostam de compartilhá-lo.
Os gatos vivem em sociedade matriarcal , ou seja, têm um sistema centrado na mãe, que é dominante sobre sua descendência.
 
A agressividade em gatos, acontece, principalmente em dois aspectos :
- instinto de caça :
agressão redirecionada. Atacar o dono sem razão aparente. O gato é um predador. Ele é atraído pelo movimento. O gato continua caçador, embora não coma mais a caça. O gato é bem parecido com o tigre . Quanto mais rápido o movimento, mais o instinto de caça é estimulado. É útil incentivar seu gato a brincar com ratinhos de brinquedo, cordinhas, etc. , tudo o que parecer uma presa.
O gato pode também atacar o dono ou outro animal mais próximo por, muitas vezes, não poder revidar imediatamente a quem ou o que colocou-o perigo.

- insegurança em relação ao contato com humanos :
agressão induzida por medo : acontece quando o gato é assustado. Ele vai fugir ou atacar.

Agressão induzida pela dor ou doença : o gato não gosta de ser incomodado quando está com dor ou doente – tumores, isquemias, problemas neurológicos, etc.

agressão provocada por acariciar o gato : o gato, reage assim, para ser deixado em paz. Muitas vezes, o gato morde ou arranha a mão de quem o está acariciando, porque sente-se vulnerável quando relaxa. Quando relaxa, podem surgir o medo e a insegurança e, pode reagir agredindo. Após a agressão, lambe-se para acalmar-se.
E, há também, o gato que só se deixa ser acariciado por uma das mãos do dono. Quando o proprietário coloca as duas mãos ele não deixa. Pode morder ou arranhar. Com as duas mãos ele fica inseguro e, prefere não ser acariciado.

A agressividade entre gatos ocorre, principalmente, por disputa de território (ou ciúmes) .

Florais de Bach:

Edward Bach, renomado médico bacteriologista, atuante por mais de 20 anos em Londres, abandonou sua prática em 1930 para dedicar-se integralmente à descoberta de seu método de tratamento pelas flores. Desde cedo, em sua época de estudante, interessava-se mais pelos pacientes do que por suas doenças pois, sentia que ocupar-se dos sintomas físicos não era o bastante. Todos os remédios usados em seu método de tratamento são preparados a partir de flores, arbustos ou árvores silvestres. Não são prescritos diretamente segundo o mal estar físico, mas sim, de acordo com o estado mental do paciente. Todo estado emocional negativo ( nos animais também) como, depressão, medo, angústia, etc. , geram desequilíbrios no indivíduo ou animal que, acaba tornando-se presa fácil de problemas físicos que, não aconteceriam se o estado mental estivesse em equilíbrio.

Os florais de Bach tratam os animais (pessoas) doentes e não, as doenças.
Os florais são produzidos a partir da retirada da energia das plantas das quais são feitas, pelo método solar ou fervura, de onde é extraída a tintura mãe.

Florais de Bach indicados para ajudar a tratar a agressividade em gatos:

- Rock rose

Para tratar a agressividade quando o gato está apavorado, aterrorizado. Quando entra em pânico.

- Mimulus
Quando o animal ataca por medo de coisas conhecidas.

- Cherry plum
Para tratar agressividade quando o animal está descontrolado. Gato que ataca qualquer pessoa ou qualquer outro animal .

- Water violet
Trata o gato quando está doente. Qualquer doença . Deixa o animal mais sociável . Essa essência é a essência de tipo do gato e, dos felinos em geral, selvagens ou semi-selvagens.

- Impatiens
Trata o animal que ataca por ser impaciente. Não respeita o ritmo dos outros. Também para tratar a dor – qualquer dor.

-Holly
Para tratar gatos que têm ciúmes destrutivos e, atacam outros gatos. Trata a crueldade e o espírito de vingança. Para tratar animais com aversões específicas : uma determinada pessoa, um determinado animal , etc.

- Willow
Trata a agressividade com o dono. Trata o ressentimento, a mágoa. Trata o comportamento rancoroso e o mau humor.
Para gatos que começam a destruir as coisas do dono, por rancor, mágoa.

- Vervain
Trata o animal agressivo por impulsividade. Animal muito agitado . Gato que vocaliza muito. Para tratar animais agitados, ansiosos e impacientes, que parecem ligados na tomada.

-Vine
Para tratar o animal agressivo que tenta dominar o proprietário ou outros animais. Não aceita ser contrariado. Para tratar animais agressivos ou cruéis com as pessoas e com outros animais. Para os gatos que defendem demais seu território, não permitindo que se chegue perto de sua comida, brinquedos, etc. Para gatos que demonstram agressividade com outros gatos ou com seus donos.

- Beech
Para tratar agressividade por intolerância. O animal é intolerante com os outros. Para tratar gatos que ficam agressivos por não tolerarem mudança na rotina. Para tratar animais que se irritam fàcilmente.

- Rescue
Trata o estresse e a tensão, relaxando, restituindo a calma e fazendo o animal sentir-se seguro.

2005
Martha Follain – formação em Direito,
Neurolingüística, hipnose e regressão.
Terapia floral – animais e humanos.
CRT 21524.

TEXTO REGISTRADO NA BIBLIOTECA NACIONAL - DIREITOS AUTORAIS
Publicação autorizada, desde que os CRÉDITOS SEJAM CONSERVADOS E
FONTE CITADA: site “Florais e Cia” – www.floraisecia.com.br

Image Hosted by ImageShack.us

66 comentários:

  1. Oi Angelique!

    O Beco já está "aberto" rsrsrs
    Muito obrigada pelas visitas e comentarios!
    Super beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! Li com interesse o que escreveu!
    Acho muito educativo.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Mudamos a ração da Mel, e ela não gostou. Sempre muito alegre e bricalhona passou a ficar pelos cantos e sem comer, ficou assim um dia e meio, descobrimos o problema trocamos a ração e tudo se resolveu. Estavamos tentando adapta-la a ficar um pouco do lado de fora da casa, quando saiamos por uma ou duas horas, deixavamos do lado de fora. Essa semana recebemos visita, três pessoas que não gostam de gatos, ela novamente parou de comer e ficou pelos cantos, tentei de tudo, dei carinho, atenção, e nada, só tomava leite e água, levei ao veterinário, e quando ele foi tirar o sangue dela pra fazer o exame,ela teve uma parada cardiaca e morreu. To me sentindo culpada, passa 1000 coisas pela minha cabeça, até que não deveria ter levado ao veterinário para não estressa la mais. Será que foi só o stresse ou ela já tava doentinha?

    ResponderExcluir
  4. Me ajudem a pensar sobre isso, está doendo muito a saudade e a culpa.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite,sou de Coxim estado de MS to enfrentando um problema sério com minha gata (Teca)ela tem agredido o proprio rabo e grita bastabte,em casos raros se passarmos perto dela em um momento de crise ela pode atacar mas sem gravidade.Se tiver com vasoura,rodo,pano td é motivo pra ela ficar brava,somente quando ela esta no meu colo ou acompanhada por mim ela da uma melhorada.Por favor me digam o que fazer pois ela é minha companheira e amo mto ela.

    ResponderExcluir
  6. Prezada Jodenildes. Passei o seu caso apra a Dra. Elaine e a resposta dela foi esta:
    "Tem muitas duvidas que eu só faço uma ligeira ideia, porque eu me especializei demais dentro de cardio. Não sei se posso ajudar muito.
    Uma amiga minha teve um gato com problema semelhante. O gato não reconhecia o proprio rabo. Não sei te dizer a causa, mas parece ser uma doença neurologica ligada a hiperestesia. No final ele teve que amputar o rabo pois estava se mutilando, e dai ficou bem. Antes de amputar tentaram usar antidepressivos e teve resultado parcial. É bom a pessoa consultar um neurologista que ele pode explicar melhor.
    Bjs
    Elaine

    ResponderExcluir
  7. Prezada Hellen Dayane, desculpe-me pela demora em te trazer notícias. Falei com a Dra. Elaine e ela te passa a seguinte mensagem:
    "Provavelmente este apetite caprichoso dela já era um sintoma de alguma doença. Muitas vezes o gato só manifesta sintoma, e mesmo assim sutil demais, quando a doença já está avançada.
    Assim o proprietário não nota absolutamente nada. O primeiro sinal de doença em felinos é a mudança de comportamento e a alteração no apetite. Vc fez o quer era certo. Levou ao vet para diagnosticar o problema e tratar. Não veria outra alternativa. Infelizmente ela veio a óbito antes de poder diagnosticar a doença. O ideal seria fazer a necropsia para tirar as duvidas.

    Elaine"

    ResponderExcluir
  8. Rosa vermelhaTenho um gato que completou 6 anos em julho.Ele é vacinado e vermifugado,vive em casa,de raça não específica,porém a 2 anos contraiu esporotricose(não sei se a grafia está correta),foi tratado e se curou.Semana passada foi cortar as unhas e voltou para casa muito quieto(o que não é seu normal)sua casinha estava quebrada e o rapaz do transporte e veterinária,disse que não houve nada,porém ele passou o dia sem comer e sem beber água,de madrugada( de quarta para quinta da semana passada)achei que ele estava com a respiração muito abalada e o levei para a emergencia da clínica em que se trata aqui no Rio.Foi feita uma avaliação e o veterinário disse que ele estava com muita dor abdominal e lhe aplicou soro e um analgésico,deixando-o internado,em observação.Na quinta o veterinária que cuida dele chegou e pediu que ele ficasse até mais tarde em observação e que fissessemos uma ultra,que foi feito na parte da tarde e o resultado foi que sua vesícula apresenta presença de estrutura hiperecogênica depositada ao fundo,com mobilidade e sem presença de sombra acústica,suspeitando-se de colecistite,concreção biliar.Minha pergunta é,se ele estava perfeitamente bem,e retornou desta forma da veterinária,após o corte de unha,com a caixinha de transporte dele quebrada,isto pode ter sido desencadeado por algum trauma e stresse a que foi submetido?O veterinário que o atendeu a noite disse que sim e o que fez a ultra também admitiu esta possibilidade.Gostaria de sua opinião sincera e profissional,pois meu bichinho é como um filho pra mim e estou muito incomodada com este fato,será que sofreu algum trauma extra,além é claro do que seria normal pelo corte das unhas?Não esqueça que a caixa de transporte dele(que é de nossa propriedade)voltou quebrada e com uma peça fora do encaixe.Desde já grata por sua atenção e certa de vossa resposta,subscrevo-me atenciosamente
    Rosemary.
    O nome do meu bebe é GATO,pq ele é um gato mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Prezada Rosemary e GAto. Passei sua informação à dRa. Elaine e ela te manda este recadinho: "Olha, sinceramente não acho que a colecistite tenha sido provocada por um possivel trauma. O que pode ter acontecido é que o bichano já tinha a alteração, assintomática, e um estresse tenha desencadeado as manifestações, que mais cedo ou tarde apareceriam. Pede para ela mandar o laudo do US que eu investigo com os vets do US do Provet.
    Bjs Elaine"
    Caso vc tenha o laudo da Ultrassonografia em mãos, scaneie e me mande por e-mail: ana_a_clemente@yahoo.com

    ResponderExcluir
  10. Já foi feito e enviado para vc querida e desde já muitíssimo obrigada por toda e qualquer ajuda que me poder oferecer,estou muito chateada,creio mesmo ter ocorrido uma imperícia no manejo e cuidados ao meu filhinho.

    ResponderExcluir
  11. Preciso de ajuda, meu gatinho tem 5 meses, e começou a ter umas atitudes estranhas, parece um desmaio ,mas ele fica com os olhos abertos e com a cabeça balançando por alguns segundos ,depois volta ao normal como se nada tivesse acontecido, e também as vezes ele dá umas miadas mais fortes e depois fica cambaleando. Será que é sintoma de estresse, pois faz 15 dias que me mudei de casa. por favor me ajude, estou com medo que seja algo mais sério. meu e-mail é m_munster @hot mail .com, meu nome é Márcia.

    ResponderExcluir
  12. Gente!!Me ajudem estou desesperada,tenho um gato enorme 7,5 kg Ziquinho nunca teve problemas de saude e crio ele há 4 anos desde que ele era bebê,morava em Salvador daí tive de vir para o interior entao trouxe ele tbm mas ,desde entao ele nao come mais,bebe pouca água e faz pouco cocô,o medico suspeita de Lipidose Hepatica,o que faço para ele curar?tentei estimulo alimentar forçado mas nao deu certo.Estou desesperada,ja chorei,ja me acabei,sou muito apegada a ele.Me ajudem,há alguma medicação pra estimular o apetite?

    ResponderExcluir
  13. Prezada Darly. Gostaria de saber se ja foram feitos os exames para diagnosticar se é Lipidose hepatica? Vc so saberá o q fazer a partir do resultado dos exames. Espero q vc ja esteja correndo atras disto. Torço pela saúde de seu gatinho e desejo melhoras.

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde, achei muito interessando o assunto, pois há 2 dias minha gata faleceu, naquela tarde eu havia dado banho nela e mal a sequei pois não queria stressa-la ainda mais com o barulho do secador, então ela correu se secar embaixo da minha cama, porém qdo fui ve-la umas 2 hrs dps a gata estava morta embaixo da minha cama, levamos ao veterinário, mas era tarde demais. O veterinário disse que provavelmente o stress do banho deu uma descarga de adrenalina que causou sua parada cardíaca, ela era neurótica e anti social com meus outros gatos, e passava a maior parte do tempo deitada na minha cama, lendo sua matéria chego a pensar que ela estava depressiva, o que fazer nesses casos para se evitar uma tragédia como esta? Obrigada.

    ResponderExcluir
  15. Oi Karina, que triste notícia esta. Eu sinto muito pela perda de sua gatinha. Olha, eu, por experiência com gatinhos, principalmente aqueles que pegamos na rua e já são assustadinhos por sinal, eu, por minha vez, tento deixa-los o mais a vontade possível. Atualmente estou com uma gatinha resgatada na rua que é bem geniosinha e medrosa, morde o tempo todo a mim e a irmã-gata dela a Nina. Acho que o único banho que ela ganhou e ainda assim foi usando toalhinahs molhadas em agua morna até limpar bem o pelo foi no dia que a peguei pois estava muito suja de fuligem e óleo de carro , ela estava dentro de um motor. De lá pra cá o banho dela é a seco. Existem hoje nas pet shops, produtos onde não é necessário você lavar ou molhar o gato...é tipo um gel que vc vai usando enquanto escova o pelo do gato...eles nãos e estressam pois adoram ser escovados...e depois o gel seca, o pelo fica brilhosom, sedoso e cheuiroso e ainda são anti-pulgas. Eu, recomendo o uso disto, ao invés de banho para não estressar os peludos. Outra coisa, os gatos são muito limpos por natureza, vivem se lambendo, então banhos são raros..Aqui em casa, a Nina toma banho no máximo 2 vezes por ano, elas não saem pra rua. Obrigada por sua visita.

    ResponderExcluir
  16. Ola, tenho uma gata que, recentemente, esta com a fome diminuida, ficou quietinha, e notei q o pelo do pescoço anda muito falhado e pouco. Gostaria de saber se a queda do pelo tambem pode ser sinonimo de stress, ja que esses sintomas só começaram depois que adotei um cachorro...Tenho dado atenção e carinho sempre que possivel mas estou preocupada com a saude dela, assim que possivel vou leva-la ao vet... mas se puder me ajudar ficarei grata

    ResponderExcluir
  17. Bom dia Lyre-Chan. Olha querida, existe uma grande possibilidade de ser stress sim. Fale com ov eterinário dela e veja também a possibilidade defazer tratamento com florais de Bach. eu utilizo muito aqui em casa e sempre vejo bons resultados pois o stress é puramente psicológico e é esta linha q os florais de Bach atendem. Dê notícias quando puder e obrigada pela visita ao blog

    ResponderExcluir
  18. oi , tenho um gato ainda pequeno,depois que comecei a dar mais carinho e atenção a ele, ele começou a querer dormir no meu quarto e cada dia mais junto de mim, até que uma noite acordei e ele tava em cima de mim urinando, depois disso estou tentando não mim aproximar tanto dele para evitar que ele entre no meu quarto ,ajude-me.

    ResponderExcluir
  19. Oi Aury,eu não sei como é o seu relacionamento com seu gatinho e se vc tem outros animais na casa. O fato é que ele está fazendo isto por puro stress e se vc "forçar a barra" evitando o gato, as coisas podem piorar. Ele faz xixi em vc como forma de te punir por algo que vc fez. Não agrida o bicho, não repreenda, pois os animais não entendem este tipo de comportamento. Eu tenho uma gatinha novinha, que desde pequena eu ensinei ela a ficar em um quarto separado pois a NIna está muito velhinha e é estressada por natureeza. A gata pequena, sempre me mordia e ainda morde (mas não tão frequentemente ) quando tranco ela no quarto dela pra dormir a noite, ela melhorou muito de comportamento quando começou a ficar mais adulta. é uma gatinha arisca e assustada mas tem muitos momentos de meiguice. Se vc só tem este gatinho, deixe-o adequar-se a sua casa. Se tiver um canto só pra ele... Eduque-o a ficar neste ambiente à noite trancadinho, mas não esqueça q o lugar deve sempre estar limpo, longe de perigos para o gato e que seja um lugar quentinho e confortável... Se todas as noites vc coloca-lo neste lugar...Ele vai memorizar que lá é o canto dele e você poderá dormir em seu quarto sozinha e sem estresse dos dois lados. Se ainda não castrou, castre seu animal. As demarcações vão diminuir. Espero ter te ajudado. Um abraço

    ResponderExcluir
  20. Bom dia! Tenho um gato de 1ano e meio, ele era super bonzinho e carinhoso mas mordia de vez enquando. Ele sempre comeu muito e ano passado elr teve um problema na bexiga causada pelo corante da raçao. Tratei o e ele melhorou. No comeco do ano pra ca, percebi que ele anda comendo menos que o normal porem toma bastante agua, ele fica de baixo das cadeiras sentado por um bom tempo e se passamos por perto ele avança, morde e arranha pra valer, chega ate bufar. Nao sei oque aconteceu com ele pra mudar de comportamento, esta claro que eh stresse mas nao sei o motivo.

    ResponderExcluir
  21. Meu gato ta mt agressivo, ta mordendo pra valer e sem motivo algum, basta.passar na frente dele e ele avança, chega ate bufar. O que eu faço? Minha mae esta muito.brava e nao o quer mais:/

    ResponderExcluir
  22. Olá Nataly, boa tarde. Devem haver várias razões para esta mudança. Primeiro, o calor em excesso da época pode sim diminir a fome dos felinos, alguma mudança no ambiente interno ou externo (não sei se seu gato tem acesso fora da casa), gente nova na família, insistências para comer uma determianda ração, mudança da mesma e vários outros motivos. Que tal procurar um vet e fazer exames de ordem renal. Assim se exclui a possibilidade de se ter alteraç~eos renais, e isto é grave, podendo levar até a morte, se não for cuidado rápido. Acho que é a melhor indicação. Fazer um check-up, vários exames de sangue e outros. Converse com o vet e nãod eixe isto se extender. Um abraço e nos dê notícia.

    ResponderExcluir
  23. Boa noite. Primeiro, parabéns pela iniciativa e muito obrigada por ajudar-nos a cuidar melhor dos nossos amores.
    Minha gatinha, Luna, vai fazer um ano no mEs que vem. é uma gatinha super mimada, criada sem nenhum outro gato por perto e que nunca sai de dentro de casa.
    Acontece que na semana passada precisamos sair de casa por 2 dias para uma reforma. No primeiro dia fomos à casa de uma amiga que tem uma gatinha nova, fêmea tbém. A Luna ficou muito estressada e avançou bastante na amiguinha. As separamos e voltamos pra casa. No outro dia precisamos sair da casa de novo e então a levamos para a casa da minha avó, onde não tem nenhum bicho. Ela ficou, aparentemente, bem a vontade mas se estressou demais no caminho de ida.
    Agora ela não está querendo comer. Passou um dia e meio sem comer, Ontem de noite comeu bastante com carninha de sache mas hoje não quer comer de novo.
    Estou super preocupada com ela e com medo de que ela desenvolva alguma doença. Obrigada pela ajuda e bom final de semana

    ResponderExcluir
  24. Prezada Andréa, não vejo preocupação neste momento. Não sei se vc é de S.Paulo mas estes dias muito quentes fazem com que os gatos comam menos também. O que vc deve se preocupar é se ela não está fazendo xixi ou fazendo em demasia, se existe vômito...este tipo de coisa. Outra coisa...Os gatinhos se estressam muito quando saem de casa... o melhor seria vc arrumar um canto onde ela se sentisse confortável. O gato...ele gosta muito da casa...Passeios de carro e outros, mesmo que por um breve espaço de tempo...estressam os animais. Vc já havia dito que ela nunca saiu de casa.;... isto já deve ter estressado ela um bocado... os gatos passam bem em casa, se em local arejado, seguro e com conforto... Se não houver perigo algum...eles vão preferir o sossego do lar a ter q entrar em uma caixa de transporte e até se ambientar com cheiors e espaços estranhos a ela. Vamos dar mais um tempinho e observar se ela não volta ao ritmo normal. Se durante a sua reforma puder mante-la em um quarto fechadinha...ela não vai se estressar e vai se sentir bem melhor q ter q ir a outras casas e até ser surpreendida com outros animais a que ela não está acostumada... Espero ter te ajudado. Qualquer dúvida volte e nos conte. Um grande abraço...coçadinhas na peluda e nos mantenha informada.

    ResponderExcluir
  25. Estou completamente desesperada.
    Tenho uma gata de raça não específica que cuido a 1 ano,ela é esterelizada e tb tomou a vacina anti-rábica.
    Ela é sempre muita animada e brincalhona.
    Desde ontem a noite quando cheguei da faculdade reparei que ela não estava como normalmente está.
    Consultando a internet verifiquei que podem ser sintomas de estresse.
    Pois ela está se lambendo em excesso,se coçando muiiiiiiiiiito,tendo tremores,pupilas delatadas,miando demais,querendo se esconder em guarda roupas e parece meio carente tb fica me pedindo pra coçar ela em todo o corpo...
    Não são comportamentos típicos dela.
    O que mais me intriga é não termos passado por nenhuma mudança aqui em casa,sendo assim tenho medo que seja outra patologia.
    Estou grávida de 8 meses e não quero colocar meu bebê em risco(pois ela também está um pouco agressiva).
    E quero ver minha pimpolhinha(bichana) saudável e feliz novamente.
    Vc pode me ajudar,me dar alguma orientação?
    Devo leva-la ao veterinário?

    ResponderExcluir
  26. Andreza, sim, por todas as informações q vc descreve, ela está com sitnoams de estresse. Acredito que um veterinário poderá examiná-la melhor e te orientar sobre oi tratamento adequado. Obrigada por sua visita e comentário aqui no blog. Depois, se possível, dê-nos notícias de sua pimpolha felina. Abraços

    ResponderExcluir
  27. olá, tenho uma gata e um gato que sempre se deram bem, no entanto um dia destes caíu um copo com canetas no chão onde estavam os dois a dormir e levantaram-se os dois a correr todos tufados e engalfinharam-se os dois numa luta violenta que nunca tinha visto apartir daí a gata nem pode sequer cheirar o gato que se amanda a ele violentamente, haverá alguma coisa que eu possa fazer para a salvar? neste momento tive de a levar para casa duma amiga porque a convivencia entre os dois tornou-se impossível, obrigado

    ResponderExcluir
  28. Olá Raquel, boa noite. Obrigada por seu comentário aqui no Blog. Existem algumas soluções paliativas que vc pode tentar. Eu já usei muito Florais de Bach manipulados (não estes q já se compra pronto)e tive ótimos resultados, outra coisa é vc vez ou outra deixa4 um gatinho na gaiola e o outro solto para q se aproximem sem se machucar e depois trocar, até eles voltarem a assimilar o cheiro um do outro. (muito estranha esta reação) aqui em hj, com 3 pequenas, as vezes saem umas brigas feias (mas como todas são fêmeas, logo se apazigua o ambiente). Eu deixo rolar. Os dois já estão castrados? Outra coisa, no momento da briga vc pode ter uma lata com tampa e gãos de feijão dentro ou pedras e na hora da briga chacoalhar bem próximo a eles para dar um sustão e a briga acabar, eu tb faço em casa e dá certo. Enfim, para Florais de Bach manipulados vc precisa encontrar uma farmacia de homeopatia de boa indole para q dê resultado certo. Faça uma busca na internet, existem literaturas próprias de utilização em animais tb e se informe direitinho para aplicar o floral ou conjunto de florais nos seus miaus...Tenho certeza q logo a paz voltará a reinar entre eles. Dê notícias

    ResponderExcluir
  29. obrigado angelique, fui a um vet e comprei a concelho da própria um difusor que diz soltar umas hormonas que são apenas detectaveis pelos felinos e que os põe mais calmos, vou fazer a experiencia durante uns dias para ver o resultado, espero que resulte porque os dois são a minha vida e não consigo conformar-me com esta separação, jinhos

    ResponderExcluir
  30. Boa noite Angelique. Achei sua página por acaso, procurando no Google sobre comportamento compulsivo em gatos. Minha gata persa, a Mel, desde pequena tem o comportamento de atacar o rabo, mas era esporádico. Com o tempo, tem se intensificado - Mel está com quase 10 anos. Depois de vários ataques sucessivos recentes, levamos ao veterinário e ele detectou que ela estava com a ponta da cauda fraturada e que deveria ser por isso que ela atacava (por doer). Fizemos a cirurgia de caudectomia parcial, e achávamos que ela iria parar com a automutilação. Apesar de todo amor e zelo, infelizmente ela voltou a mordê-lo, mesmo usando um colar elisabetano aumentado. A família tem se estressado muito com isso. Estamos deixando-a de colar o dia todo, alimentando-a na boca e, quando vemos que ela está se agitando (começa a olhar muito pro rabo e a balançá-lo com força), estamos deixando a Mel fechada num quarto.
    Não sabemos como proceder...estamos com muita dó de deixa-la tanto tempo com colar, isolada, sentimos que ela está triste...pensamos em dar floral, mas precisamos de algo de efeito mais rápido. Queria saber se você pode dizer a respeito de uso da fluoxetina nesses casos...
    Somos apaixonados pela nossa Melzinha, mas está a ponto da família toda ter que tomar algo contra a ansiedade...estamos todos tensos...
    =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Carol. Pela descrição aqui percebi que sua gata está super estressadinha. Acredito que trancar a gata e ainda com colar vai deixa-la mais estressada, Se a cicatrização já está ok está na hora de retirar o colar e opor favor,destranque-a imediatamente. Os Florais não tem resultado imediato, aliás acredito que nenhum remédios mesmo alopáticos não resolveriam neste caso. Desconheço o uso de Fluoxetina nestes casos.

      Família, como os gatos são super sensíveis acho bom vcs começarem a tomar em casa Passiflorine ou algo parecido...porque isto tb está afetando o bem estar da Mel. Só o fato da perseguição em tentar faze-la não comer o rabo já está irritando-a por demais. Não é trancando a Mel em um quarto e ainda com colar que vcs vão sanar o problema... Vcs precisam relaxar e a partir daí começar a cuidar dela...Se já não existe mais nenhum problema cirurgico que tal iniciar o tratamento com os Florais, eu recomendo após cirurgia e todo o estresse em família e dentro de casa, o uso do Rescue Remedy que pode se manipulado na hora (sempre avise que é para o gatinho e ele será feito com base de glicose e não conhaque)ou já pronto (já existe no mercado) em comece com 4 a 5 doses diárias. Procure os verdadeiros Florais de Bach, pois existem vários florais. deixe me falar da composição do Rescue.

      Ele é composto das seguintes flores: Impatiens q trata da impaciencia, irritabilidade e agitação que geralmente acompanham stress, q por sua vez, costuma causar tensão muscular e dor;
      a Clematis para a inconsciência, a crise de "asusencia" e o desfalecimento que geralmente acompanham o trauma;
      o Rock Rose, remédio apra o terror, o panico, a histeria e o medo extremo;
      O Cherry Plum; remédio para a perda de controle mental e físico, comportamento autodestrutivo como morder e arrancar a pele ou lamber-se excessivamente; e o
      Star of Bethlehem, remédio para o trauma fisico e mental.

      Eu não fico sem o Rescue em casa e sempre q faço, faço pra mim e para as gatinhas. ele trata a tensão, relaxando e restituindo a calma, fazendo com que o animal se sinta seguro.

      Bem, espero, de alguma forma, ter ajudado com estas informações. Nos mantenha informado e espero, de coração, que Mel, volte ao normal e tenha uma vida feliz... E vc familia, por favor, relax.

      Excluir
    2. Obrigada por responder, Angelique.
      A família está mais calma...até meu pai que é o mais estressado tem colaborado muito nos cuidados com ela...mas ainda não tivemos coragem de tirar o colar da Mel; ela tem momentos de esquecer dele, de correr de medo dele, ou de tentar agredí-lo. Se tirarmos, é quase certo que ela vai atacar, pq não vai ter o colar pra dificultar...
      Vamos tentar começar com o floral...compramos um num pet em que disseram ter uma especialista nisso - florais pra animais
      Vamos ver o que dá né?? Amor cuidados e carinho não faltam pra Mel - acho que pecamos pelo excesso...rs

      Excluir
  31. Oi gente! Preciso da ajuda de vocês.
    Minha mãe e meu padrasto moram só em casa e têm duas gatinhas, Lili (mais velha) e Nina (mais nova), ambas têm menos de 1 anos e mais de 6meses.
    Lili foi criada desde bebê, já a Nina foi adotada um pouco mais velhinha.
    No inicio a adaptação foi complicada, pq Lili não se acostumava com Nina e vivia se escondendo, mas depois elas ficaram super amigas e desde então brincavam e estavam sempre juntas.
    Acontece que anteontem LiLi e Nina (do nada) se atacaram e a briga foi tão feia que, quando o meu padrasto e minha mãe foram separá-las, a Lili os atacou e os arranhou muito. Depois disso Nina mijou e cagou a casa toda, provavelmente por medo de Lili.
    Lili agora não pode ver meu padrasto que o quer atacar. E minha mãe teve que deixar Nina lá em casa esses dias. Eles levaram Lili no veterinário, ele passou calmantes ainda não vimos resultado.
    As duas foram castradadas há 01 mês e a recuperação de Lili não foi tão boa qto a de Nina. Elas pegaram pulga na clínica e tivevemos que usar remédios fortes para eliminá-las por completo.. e Lili teve reação alérgica ao remédio.
    Sei que pode ser stresse por conta da cirurgia... mas não sabemos o que fazer para reverter essa situação!
    Por favor, nos ajude, pq minha mãe chora muito por estar afastada de Nina pelo comportamento de Lili e por medo de não poder uni-las de novo ou até mesmo do convívio com meu padrasto. Eles amam muitos as meninas (gatas) e não aguento mais vê-los triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Priscila, o que eu recomendo é, a principio, manter as pequenas separadas ou ainda, se ambas tem caixa de transporte, pode colocar uma na caixa e deixar a outra solta e inverter o processo e quando fizer isto, dá pra deixar uma se aproximar da outra. Outra coisa, é bom sempre deixar um paninho de uma com a outra para começarem a assimilar os cheiros e a vida voltar ao normal, mas entendam q isto deverá ser aos poucos, uma atitude de ada vez, levando aí uma média de 1 semana para cada atividade... Teus pais tb podem fazer o mesmo com agatinha assustada...colocar uma blusa com o cheio deles na caminha dela para q ela perceba-os mais perto, nada de estresse. Brigas entre fêmeas é normal, mesmo com pequena diferença de idade, o ideal é seus pais não tentarem separar para não serem arranhados ou machucados mas usar um borrifador e na briga borrifar água nelas, ter uma lata destas de leite ou outro e colocar pedrinhas, algo que faça um barulhão quando chacoalhar...isto tb serve para separar e dar um sustão nelas. SE vc ler outros comentários meus aqui neste post verá q eu aconselho a usar um Floral de Bach que uso com frequência e que tem dado bons resultados, é o REscue Remedy q vc pode adquiri em farmácias de manipulação, mas compre o que é voltado para animais pois ao invés de conhaque para a conservação é feito com glicose. Espero ter ajudado vcs. Nos dê notícias quando puderem. Um abração

      Excluir
  32. minha gata pouco antes de dar a luz (ela já é uma gata razoavelmente velha) começou a se auto mutilar na região do pescoço.
    agora que deu cria está fazendo isso muito mais chegando a causar feridas nessa região.
    estou usando um medicamento que é anestésico, anti-inflamatório e antibiótico e cobrindo os machucados com atadura. isso impede que ela se auto mutile novamente e cura as feridas entretanto não resolve a causa do problema.
    vou procurar amanhã algum medicamento que possa ser calmante e também vou me dispor do filhote (ela esta muito estressada com ele)
    você saberia me dizer algum medicamento calmante (sei que diazepam tem ação em felinos mas não sei a dosagem ideal então não arrisco). Queria uma opção se possível mais barata que esse difusor mencionado em um comentário acima (que custa quase 150 reais aqui na minha região)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. continuando com as informaç~eos:
      "A dose recomendada é de 0,5 mg a 2,0mg para cada Kilo de peso do animal.

      Acho importante vc testar uma dose baixinha primerio...pq para o Diasepam o efeito da superdosagem é justamente o oposto, ou seja agitação...

      Se vc não sentir nenhum efeito..da eleva para 1,0mg/kilo e SEMPRE respeitando o máx que é de 2mg/kilo.

      Uma dica! Pelo visto vc tem mesmo gatinhos como o meu, que não aceitam NADA!
      Não adianta querer colocar goela abaixo que ele vomita...nem passar pomada ou spray que ele lambe...

      Uma veterinária certa vez me recomendou que eu colocasse a medicação (pastosa) na patinha que com certeza para limpar ele iria lamber...
      QUEM DISSE!! Ele saudiu a patinha até desgrudar a maior parte e o que sobrou ficou coberto de sujeira e ele NÃO LAMBEU!!

      Então pra dar o diazepam a ele descobri uma ótima técnica... como é quase só um farelinho eu coloco em um colher, molho o dedo e aperto no remédio...
      fica uma melequinha pequena que eu pego e passo ao lado do nariz dele...entre o nariz e os bigodes...dai ele logo lambe e pronto!

      Recomendo mesmo que você dê o calmante aos stressados antes de er que levar no vet. ou coisa assim... o meu agora só toma banho medicado...dai ele não vlta mais para casa todo stressado com o olho esbulhado...todo desesperado como antes...facilitou a minha vida...tomara que facilite a sua tb!

      Tudo de bom!
      Abraço!"

      endereço do site q encontrei este relato: http://www.ciadogatopersa.com.br/forum2/viewtopic.php?id=2129

      Excluir
  33. Olá Fernando, bom dia e obrigada por postar aqui a sua dúvida. Fiz uma pesquisa na net e uma das coisas que vc deverá fazer com sua gata logo após o desmame é marcar a cirurgia de castração que, ao meu ver, é a grande motivadora deste estresse todo. Após a castração os gatos geralmente ficam mais dóceis. Qto ao Diazepam, só encontrei um relato para um gato persa muito estressado e com sintomas bem parecidos com o que vc menciona. A mentora do animal informa que teve ótimos resultados com o diazepam e que utilizou o medicamento começando com doses pequenas, checando as reações no felino. Abaixo copio o relato que encontrei, mas ainda sim e por não ser veterinária, te oriento, se possível, a questionar o uso do diazepam para acalmar sua gatinha.

    "Olá a todos!

    Meu gato (um persa laranja LINDÃO) teve de passar por um dos stressadores nº 1 de gatos: MUDANÇA!

    Mudamos de um apto pequenininho para um grandão!

    Não bastase todo o stress da casa nova...
    E o gatão perdido, assustado sem achar o lugar das suas coisinhas...
    Pra piorar começamos a receber sucessivas visitas... meu gato, quando têm visita em casa fica entocado em um canto, não sai para comer, nem beber, nem fazer xixi...
    Fora isso, as visitas também ME deixavam MUITO stressada...logo, o gatão sentia o clima e ficava ainda pior...

    Ele já tinha 1 ano e 6 meses e nunca tinha fito xixi fora da caixa... mas depois disso começou a fazer por TODA a casa...em cima do sofá...cama...tapetes TUDO!
    O que aumentou meu stress consequentemente...o dele!

    Resolvemos comprar uma companheira para fazer cia. a ele no apartamentão, distraí-lo...fazer ele voltar a brincar e interagir...
    Ele se apaixonou pela gatinha logo de cara (tb ela é LIN-DA)
    ... seguia ela por todos os cantos, cuidava...deixava ela comer a comida dele...água... ele gostou (ainda bem pq pelos depoimentos que já via aqui não sabia do risco que estava correndo)!

    Só que apesar disso nunca mais foi o mesmo... tornou-se um gato arredio e stressado... até que tudo cuminou em AUTO-MUTILAÇÃO... lambia até arrancar o pelo e a pele e começar a sangrar... depois de muitas idas inúteis ao vet. um dinheirão gasto em consulta e remédios sprays....
    resolvemos pesquisar...
    Meu namorado é médico e foi olhar medicação para stress e depressão que pudesse ser dada para gatos...
    Descobrimos que o DIAZEPAM (sim o famoso Diazepam) poderia ser dado...
    Resolvemos numa medida desesperada de salvar o gato (que já estava com o percoço em carne viva e infecionado) dar a ele a dose recomendada em sites veterinários... fiquei tão preocupada que passei o dia com ele para ver os efeitos...

    POIS FOI UM SANTO REMÉDIO !!
    Ele dormiu profundamente...enquanto dormia pude passar a pomada que ele jamais deixava e ainda arracava (quando eu conseguia colocar alguma coisa)piorando mais os machucados...
    Quando acordou meio grogue tomou água e comeu como nunca mais tinha comido..(ele tb estava magro demais)... não deu mais bola para as feridas, que foram cicatrizando a medida que eu as conseguia limpar e medicar...
    Ficou amável novamente...nos procura (mia pedindo colo), BRINCA!

    Nunca imaginei que meu gatinho pudesse melhorar com remédio de gente, psciquiatrico! Mas foi oq ocorreu...AINDA BEM!


    Agora ele não toma mais e continua BEM!
    Damos a ele uma pequena dose quando ele passa por uma situação muito stressante... para evitar de ele entrar novamente num quadro tão profundo...
    Ele é feliz novamente!! Voltou a ter um olhar curioso de gato!

    Não estou aqui defendendo que as pessoas mediquem seus pets sem a recomendação do veterinário, mas já tinhamos ido a diversos vets e o gato só piorava, era terrível vê-lo arrancando pedaços dele mesmo...e sangrando...
    Foi uma medida desesperada...

    Espero que mais ninguém tenha de passar por isso e lembre-se:
    Preserve seus gatinhos eles são super sensíveis e merecem um ambiente sadio..."

    ResponderExcluir
  34. Olá!
    Tenho três gatinhos e eles são meus filhos felinos. Os amo.
    O machinho, com três anos, apareceu com uma lesão na que foi diagnosticada como úlcera de córnea. A primeira veterinária passou colírio atropina e colírio oflox. Não adiantou. Retornei e meu gatinho foi diagnosticado com entrópio que estaria causando a úlcera. Foi passado colírio oflox e colírio tobrex e cetoprofeno. Não adiantou. O levei na oftalmologista que o diagnosticou com sequestro de córnea e úlcera de córnea. Retornei com colírio de atropina e colírio oflox. Em quinze dias retornarei. Agora a quatro dias meu gato está se auto- mutilando, atingindo a região da bochechinha e da boca. A cena é horrível, é como se ele não controlasse a língua dele, ele tenta enfiar as duas patinhos na boca. As unhas prendem e os cortes são feios. Estou passando pomada. Aprendeu a tirar o colar e não está comendo nem bebendo água. Meu filho e eu estamos tentando ficar 24 h de olho nele. O levei em uma emergência e a veterinária disse que ele deveria usar o colar, só isso que a veterinária falou (lamento por ela ter escolhido essa profissão), não falou mais nada. Liguei para a oftalmologista e ela pediu que eu desse atropina de 48 h em 48 h. Já acabei com a atropina a 36 h. Meu gatinho não melhorou. Sinto que estou o perdendo e estou com uma grande dor no meu coração. Alguém que esteja lendo já teve um gatinho que passou por esta situação? O que aconteceu? Por favor, se alguém passou me diga, estou arrasada em vê-lo sofrer e já estou ficando sem forças...

    ResponderExcluir
  35. Prezada Maria, fico aqui imaginando o quanto vc está sofrendo com tudo isto. Seu gato está tomado de um enorme estresse.; Eu fiz uma busca na internet e fiquei sabendo que o unico jeito de curo é atraves de cirurgia da cornea. VC teve esta informação. Nãos ei de que cidade vc fala, mas a maioria dos hospital veterinários, dentro de universidades fazem as cirurgias por um custo abaixo do mercado. VC já se orientou sobre isto. Também li que o incomo desta doença leva os gatinhos a agirem pela forma que o teu está reagindo, deve ser dor e incomodo. Vc já tentou usar floral de Bach para amenizar temporariamente isto...é lento mas funciona. REcomendo vc mandar manipular o REscue Medicine em gotas para gatos e dar a ele de 2 em 2 horas 3 gotas na boca, ele não tem sabor algum, é como água. Desculpe-me por não poder ajudar mais que isto. Achei este blog que fala sobre a doença, entre lá e dê uma lida: http://www.oftalmologianimal.com.br/2009/05/sequestro-de-cornea-em-felinos.html e aqui um video com mais explicações: http://mais.uol.com.br/view/fm5hke5o3x3s/sequestro-de-cornea-e-um-problema-comuns-nos-gatos-0402CC9A3362C8A14326?types=A&. Depois nos dê notícias

    ResponderExcluir
  36. Olá, tenho uma gatinha a Julie de mais ou menos dois anos não sei direito pois ela apareceu na minha casa pequena e eu a adotei, ela nunca foi muito carinhosa, tomou todas as vacinas e também foi feito a castração. Agora eu peguei dois filhotinhos com um pouco mais de um mês e ela não quer de forma alguma aceita-los, rosna pra eles o tempo todo e vai pra cima deles, tenho que deixa-los o tempo todo separados dela, é uma luta todo dia agora ela tá atacando todos em casa, quando entra em casa ela fica cheirando tudo e quando ela senti o cheiro dos gatinhos começa a rosnar e a atacar, não sei o que fazer, isso tudo já tem mais de duas semanas, vi aqui no seu post sobre os florais e vou procurar saber direito como usa-los o que posso fazer mais, quero ficar com os três gatinhos já amo todos eles, mas a minha Julie não aceita o que faço.

    ResponderExcluir
  37. Olá. Tenho uma gatinha a Julie, ela tem mais ou menos dois anos não sei direito pois ela apareceu em casa ainda pequena e eu adotei-a, ela nunca foi muito carinhosa, não gosta muito de carinho (acho que sofreu muito na rua), mas tomou todas as vacinas e também já foi castrada. Agora eu peguei dois filhotinhos com um pouco mais de um mês, e ela não quer aceitar de jeito nenhum os gatinhos, começa a rosnar e a querer ataca-los. Tenho que deixa-los o tempo todo separados. Ela fica o tempo todo fora de casa e quando os gatinhos estão presos na casinha ela entra e fica cheirando todos os cantos da casa e quando senti o cheiro deles ela começa a rosnar, agora ela também está atacando todos em casa. Estou tentando de todas as formas dar mais carinho para ela, mas ela não quer aceitar de jeito nenhum (já não gostava muito antes, agora então tá super estressada). Isso já está acontecendo a mais de duas semanas, não sei mais o que fazer. Amo os meus gatinhos e não quero ter quer desfazer de nenhum deles. Li no seu post sobre os florais e vou procurar para começar a usa-los e o que mais eu posso fazer para resolver o problema, já não aguento mais essa situação e a minha Julie cada dia tá mais estressada, não quero mais vê-la desse jeito. Me ajude.

    ResponderExcluir
  38. Prezada seguidora desconhecida, somente a convivencia trará a aceitação por todos eles...é claro q bebes gatinhos não entendem a reação da gata adulta... e ela até então se sentia a dona, a rainha de vc q agora divide o tempo e até mais com os pequenos. A Nina, minha gata q conviveu comigo por 22 anos...durante 14 anos fez fuuus para a Missy a melhor amiga dela e estavam sempre juntas mas a Nina era a dona do pedaço. Eles se acostumam...tenha paciencia...Os florais vão ajudar bastante mas é também questão de tempo. Aos poucos troque alguns objetos de um e outro e aproxime deles...paninhos de dormir..brinquedos, apra que eles comecem assimilar os novos cheiros. A principio, por precaução mantenha-os afastados, se tiver 2 caixas de transporte...experimente colocados um em cada e aproximar uma caixa de outra só para se ambientarem...isto aos poucos...ou prenda um e solte outro e troque no dia seguinte
    Espero ter ajudado com as dicas. precisando apareça, comente, conte as novidades...VC não precisará se desfazer dos filhotes

    ResponderExcluir
  39. Olá, tenho um gatinho de aproximadamente um ano, Glenn, que peguei na rua faz alguns meses. Achei que seria difícil acostumá-lo a casa porque tenho um cachorro, mas eles se deram muito bem. Há 7 dias arranjei outro gatinho, Ash, de aproximadamente 2 meses, também pego da rua. No começo eles se estranharam, rosnando um pro outro, mas depois passaram a se dar bem, mas nos últimos 2 dias, o Glenn vem comendo muito pouco ou não come nada. Aparentemente ele está saudável, será por ciúmes do outro gato? O que devo fazer para que ele volte a comer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada Adriana, bom dia! Você notei além da falta de alimentação se ele está fazendo coco e xixi normalmente?; anda recuado e afastado querendo fiar sozinho em algum canto? ou continua brincalhão e sociavel? Encontrou vomito ou diarreia? Tente colocar ele em um cantinho somente pra ele com ração num pratinho sem os outros animais por perto e veja se ele volta a se alimentar, se nenhum dos sintomas acima está ocorrendo e se ele não voltar a se alimentar mesmo estando sozinho sugiro levar ao veterinário para uma consulta. Depois me dê notícias ok? Beijos

      Excluir
    2. Obrigada pela ajuda, fiz o que você sugeriu, de isolá-lo, e ele comeu um pouco melhor, do resto estava ok em ser brincalhão e sociavel. Não sei se era a presença do cachorro que o intimidava (apesar deles estarem juntos pelo menos 4 meses), porque depois que minha mãe levou o cachorro para a casa dela, o Glenn voltou a comer normalmente. Estranho, não? Obrigada pela ajuda.

      Excluir
  40. Angelique, boa noite! Preciso de ajuda com o meu gatinho SRD Negão, de dois anos de idade. Ele sempre teve brincadeiras agressivas, melhorando um pouco depois de castrado, aos 8 meses. Mas ultimamente, depois de diagnosticado com cristais na bexiga e cistite (ambas doenças já em tratamento, já não apresentando mais sintomas da última), voltou a ser agressivo e agora é imprevisível, atacando minhas pernas e bracos com mordidas violentas até mesmo quando estou sentada no sofá assistindo televisão. Não sei mais o que fazer, principalmente porque meu marido já ameaçou se desfazer dele. O que mais impressiona é que não precisa de motivo algum pra ele atacar, mesmo quando estamos parados. Afora os ataques, ele é muito apegado a mim e está sempre no mesmo cômodo que eu na casa. Existe algo que possa fazer? Não sei mais como lidar com meu gatinho. Obrigada!

    ResponderExcluir
  41. Oi Bruna, tudo o que vc me escreve aqui é sintoma de ciumes. Acredito que vc deva dar mais atenção ao seu gatinho. Brinque com ele, gatinhos não precisam de apetrechos caros apra se diertir. Uma bolinha de papel... um barbante comprido para arrastar pela casa e fazer ele correr atras...enfim... isso fará com ele sinta que também tem a sua atenção. Em casa, a Miucha também faz isso quando quer brincar e quer atenção... e quando começo a brincar com ela pela casa ela se acalma e fica feliz...faça este teste. Outra coisa, não adianta bater no gatinho nem gritar pois os animais não entendem nossa reação humana. Espero ter te ajudado e depois volte para me contar se este tipo de terapia está te auxiliando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angelique, boa tarde! Exatamente um mês depois, volto pra te contar o resultado dos teus conselhos aplicados. De início não adiantou muito, porque bastava eu balançar o braço com um brinquedo que ele mirava o braço, atacava o braço. Nos últimos dias ele tem melhorado, não sei se porque encontrei brinquedos que o agradaram ou se porque meu marido tem viajado muito a trabalho. Continuo preocupada, mas tentando fazer com que dê certo. Obrigada pela ajuda.

      Excluir
    2. Bruna, fiz uma pesquisa na net voltada para os Florais de BAch que sempre menciono, especialmente aqui nesta postagem. leia e veja se tem interesse em manipular Floral pra seu gatinho. Já usei em casa muito e tive excelentes resultados, até com a Miucha que se tornou bem mais sociavel e largou mão de me atacar...
      A agressividade em gatos, acontece, principalmente em dois aspectos :
      - instinto de caça :
      agressão redirecionada. Atacar o dono sem razão aparente. O gato é um predador. Ele é atraído pelo movimento. O gato continua caçador, embora não coma mais a caça. O gato é bem parecido com o tigre . Quanto mais rápido o movimento, mais o instinto de caça é estimulado. É útil incentivar seu gato a brincar com ratinhos de brinquedo, cordinhas, etc. , tudo o que parecer uma presa.
      O gato pode também atacar o dono ou outro animal mais próximo por, muitas vezes, não poder revidar imediatamente a quem ou o que colocou-o perigo.
      - insegurança em relação ao contato com humanos : agressão induzida por medo : acontece quando o gato é assustado. Ele vai fugir ou atacar.
      - agressão induzida pela dor ou doença : o gato não gosta de ser incomodado quando está com dor ou doente – tumores, isquemias, problemas neurológicos, etc.
      - agressão provocada por acariciar o gato : o gato, reage assim, para ser deixado em paz. Muitas vezes, o gato morde ou arranha a mão de quem o está acariciando, porque sente-se vulnerável quando relaxa. Quando relaxa, podem surgir o medo e a insegurança e, pode reagir agredindo. Após a agressão, lambe-se para acalmar-se.

      Excluir
    3. continuando...

      E, há também, o gato que só se deixa ser acariciado por uma das mãos do dono. Quando o proprietário coloca as duas mãos ele não deixa. Pode morder ou arranhar. Com as duas mãos ele fica inseguro e, prefere não ser acariciado.

      A agressividade entre gatos ocorre, principalmente, por disputa de território (ou ciúmes) .


      Florais de Bach:
      Edward Bach, renomado médico bacteriologista, atuante por mais de 20 anos em Londres, abandonou sua prática em 1930 para dedicar-se integralmente à descoberta de seu método de tratamento pelas flores. Desde cedo, em sua época de estudante, interessava-se mais pelos pacientes do que por suas doenças pois, sentia que ocupar-se dos sintomas físicos não era o bastante. Todos os remédios usados em seu método de tratamento são preparados a partir de flores, arbustos ou árvores silvestres. Não são prescritos diretamente segundo o mal estar físico, mas sim, de acordo com o estado mental do paciente. Todo estado emocional negativo ( nos animais também) como, depressão, medo, angústia, etc. , geram desequilíbrios no indivíduo ou animal que, acaba tornando-se presa fácil de problemas físicos que, não aconteceriam se o estado mental estivesse em equilíbrio.
      Os florais de Bach tratam os animais (pessoas) doentes e não, as doenças.
      Os florais são produzidos a partir da retirada da energia das plantas das quais são feitas, pelo método solar ou fervura, de onde é extraída a tintura mãe.

      Florais de Bach indicados para ajudar a tratar a agressividade em gatos:
      - Rock rose
      Para tratar a agressividade quando o gato está apavorado, aterrorizado. Quando entra em pânico.

      - Mimulus
      Quando o animal ataca por medo de coisas conhecidas.

      - Cherry plum
      Para tratar agressividade quando o animal está descontrolado. Gato que ataca qualquer pessoa ou qualquer outro animal .

      - Water violet
      Trata o gato quando está doente. Qualquer doença . Deixa o animal mais sociável . Essa essência é a essência de tipo do gato e, dos felinos em geral, selvagens ou semi-selvagens.

      - Impatiens
      Trata o animal que ataca por ser impaciente. Não respeita o ritmo dos outros. Também para tratar a dor – qualquer dor.

      -Holly
      Para tratar gatos que têm ciúmes destrutivos e, atacam outros gatos. Trata a crueldade e o espírito de vingança. Para tratar animais com aversões específicas : uma determinada pessoa, um determinado animal , etc.

      - Willow
      Trata a agressividade com o dono. Trata o ressentimento, a mágoa. Trata o comportamento rancoroso e o mau humor.
      Para gatos que começam a destruir as coisas do dono, por rancor, mágoa.

      - Vervain
      Trata o animal agressivo por impulsividade. Animal muito agitado . Gato que vocaliza muito. Para tratar animais agitados, ansiosos e impacientes, que parecem ligados na tomada.

      -Vine
      Para tratar o animal agressivo que tenta dominar o proprietário ou outros animais. Não aceita ser contrariado. Para tratar animais agressivos ou cruéis com as pessoas e com outros animais. Para os gatos que defendem demais seu território, não permitindo que se chegue perto de sua comida, brinquedos, etc. Para gatos que demonstram agressividade com outros gatos ou com seus donos.

      - Beech
      Para tratar agressividade por intolerância. O animal é intolerante com os outros. Para tratar gatos que ficam agressivos por não tolerarem mudança na rotina. Para tratar animais que se irritam fàcilmente.

      - Rescue
      Trata o estresse e a tensão, relaxando, restituindo a calma e fazendo o animal sentir-se seguro.

      Continuo à disposição para outras duvidas q vc tiver. Beijos

      Excluir
    4. Agora que vi que esta informação já estava escrita aqui, mas tente dar a ele o Floral e ver o q acontece. lembrando que vc deve mandar manipular e pedir para que seja em glicose e não conhaque, e vc pode gotejar diretamente na boca dele ou na agua q ele bebe.

      Excluir
  42. Oi Angelique,a dois dias passei por uma situação mt difícil o meu gato de três anos csatrado, fugiu e só consegui resgatar no dia seguinte,ele passou a noite toda fora,quando chegou em casa a primeira coisa que fez foi fazer xixi na cama do meu filho,e de lá para cá ele está apatico parece que foi anestesiado,só come quando dou na sua boca e mesmo assim pouca quantidade.O que fazer para que ele volte a ter o comportamento de antes? isto é brincar,subir nos móveis se alimentar normalmente?Desde já agradeço

    ResponderExcluir
  43. Oi Ivani, boa noite. Primeiro de tudo vc já levou seu gato no veterinário depois q ele sumiu? Acho que seria interessante fazer uns exames nele. a gente nunca sabe se ele foi atacado por outros animais , se ingeriu algo ruim,...enfim...por favor leve-o ao veterinário e peça alguns exames de sangue e avaliação do gato. Um bom veterinário, com certeza, saberá te orientar sobre os cuidados com seu bebê. Depois dê notícias

    ResponderExcluir
  44. Olá agradeceria muito se pudessem me ajudar a esclarecer o que aconteceu. Eu criava (tive que doar) uma gata da raça himalaio e não mais que de repente, ela começou a me estranhar e ficar agressiva com todos os comportamentos de um gato acuado, bravo e talvez com medo e era somente comigo essa agressividade toda, ela não me reconhecia, parecia que ela me via como um monstro; ela miava muito alto como se quisesse me intimidar, como quando eles (gatos) brigam entre si, arqueava as costas, murchava as orelhas, rosnava e "cuspia/bufava" de forma que eu não podia nem passar perto dela que ela fazia um escândalo miando muito alto. Ela fez exames de sangue pra descartar a possibilidade de alguma dor ou doença que estivesse passando e os exames nada acusaram. Ela é castrada.
    Moro sozinha e o apto tem 40m, não mudei nada em casa, não tem animais novos nem na minha casa, nem nas proximidades, não foram visitas lá em casa e eu não mudei nada na minha rotina (com exceção do que falarei logo abaixo).
    Nesse período eu fiz uso do Noripurum (Ferro) injetável 6 sessões que eram intercaladas... Foi à única coisa que fiz de diferente, tento achar lógica nisso, no uso do remédio, mas não consigo, pois e se fosse um perfume diferente? E como que quando ia uma visita ela não ficava tão agressiva assim?
    A veterinária disse que não tem nenhuma correlação em relação à questão de que eu tenha feito o uso do Noripurum. Ela se referiu que EU pudesse ter emitido feromônios de stress, energia negativa o que não entendi nada, pois vivemos num mundo stressante, então não ninguém poder ter animais porque vivemos stressados nessa correria do dia a dia; se o stress não é, ainda será uma das doenças do século. Quero adiantar também que nunca bati nela, nos 4 anos que esteve comigo desde os 2 meses de nascida, sempre foi mimada.
    Ela ficou 4 dias na clínica fazendo os exames e nesses 4 dias fui vê-la, ela estava dócil como sempre fora, voltou pra casa ficou 1 dia bem e no dia seguinte começou tudo de novo, eu entrei em pânico porque não tinha ninguém pra me ajudar e ela não me deixava sequer passar perto dela. Peguei um cobertor e me enrolei pra poder passar por ela e ir buscar ajuda com meus vizinhos e com eles ela tinha a mesma reação, mas ela deixava que eles se aproximassem embora ainda que rosnando.
    Algumas pessoas me falam que ela viu/via de espíritos ou que fizeram magia pra mim e que pegou nela, enfim, não sei o que pensar, só sei que hoje estou traumatizada e embora eu ame criar gatos, pois crio desde os 8 anos de idade, já tive mais de uns 7, não consigo mais nem pensar na possibilidade de pegar um pra criar pois sempre que me recordo dessa situação, meu medo fala mais alto do que meu sentimento. Estou inclusive fazendo terapia que a veterinária indicou. Será que a gata via algo (espíritos) em mim, poderia mesmo ser o uso da medicação ou poderia ser stress? Por favor me ajudem a entender, me sinto tão perdida, sem entender nada, pelo menos pra eu me sentir um pouco em paz. Não tenho notícias dela, pois dei pra veterinária que já tinha uma pessoa que queria e a mesma não me diz quem é pra que eu possa acompanhar o que acontece.

    ResponderExcluir
  45. Prezada Isa, perdoe-me pela demora na resposta. Olha nunca li nada a respeito do que vc menciona em seu comentário como também não passei por experiencia semelhante. O que sei sobre os gatos e plantas em casa é que eles são capazes de retirar de você toda a energia negativa que trazes de fora, agora pensar que eles foram "tomados" por algum "espirito maligno" isso já é demais. pensei sobre o estresse e sim, surge esta possibilidade, não sei o quando vc se estressa ao lognod e seu dia e se nos ultimos meses de contato com a sua gata vc não estava passando por alguma dificuldade, pressão ou outro, e mesmo, sem querer, isto era absorvido por sua gata, mas olha, vc teria que estar altamente estressada, irritada, para através de seu corpo exalar tal aflição/estresse e outro. Somente você , agora com análise psicologica, poderá entender esse momento, mas por favor, não fique temerosa de se aproximar /ou ter outros gatinhos, aliás, existem tantas alminhas felinas precisando de doação, quem sabe, não seja a hora de adotar e dar todo o amor que vc tem em você para um novo companheiro(a). Torço para que vc se recupere rapido e não encha sua linda cabecinha com bobagens ditas pelos outros. Fique em paz e siga o seu coração.

    ResponderExcluir
  46. Oi! Tenho uma gata branca de mais ou menos 1 ano de idade, ela e os irmãos foram adotados por mim ha algum tempo.
    De uns dias para cá ela tem se auto-mutilado, se lambe e puxa os pelos até serem arrancados e após isso morde a área onde tirou os pelos até ficar uma feridinha.
    Levamos ao veterinário e ele não soube dizer o que pode ser feito, estamos desesperados pois já está assim no corpinho todo dela, várias áreas sem pelos pq ela arrancou.
    Ela é castrada e os irmãos também, todos convivem bem, dormem juntinhos.
    Alguma dica?
    Obrigada desde ja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paloma, ela está com os sintomas de estresse e deve ser (creio eu) os irmãozinhos.... vcs ficam em casa o tempo todo. como ela chegou depois como é o tratamento de vocês para ela, é ighual ao dado aos irmãos ou algum deles ganha mais caricias e atenção...pense um pouquinho e veja se não é isso. Existe um floral de BAch chamado Rescue Remedy e ele é excelente para tratar gatinhos estressados e com sintomas identicos as sua gatinha branca. procure mais informações e se não resolver volte aqui. Bjs

      Excluir
  47. Tenho uma gatinha vira lata ela era dócil,já teve duas crias e nunca foi agressiva na hora do parto sempre atras de mim tinha que vigia-la ate o termino do parto.ela me queria sempre por perto agora ela esta pra criar de novo. mas esta extremamente agressiva . e ataca todos q ve pela frente. alem de ficar rosnando como onça.o q faço?

    ResponderExcluir
  48. Prezado seguidor.Tudo indica que sua gatinha está querendo distancia dos humanos neste período de cria, talvez medo de que possam retirar-lhe os bebes ou algo parecido. eu manteria distancia e deixaria ela em paz no canto dela, deixando que a ração e a água fiquem próximos. Esperem ela dar cria para ver se esta situação mude. Evitem estressa-la neste momento, se possível mantenham-na em um ambiente só pra ela, sem muita circulação de pessoas. Espero ter ajudado

    ResponderExcluir
  49. Bom Dia. Tenho uma gata que sempre foi normal. No seu primeiro cio ela engravidou e teve seus filhotes normalmente, ficamos com 1 filhote e a gata mudou completamente. Ela batia no gatinho, rosnava, e chegou a sumir por uns 2 meses ( obs. Ela estava vacinada contra o cio) depois ela voltou, e passado o efeito da vacina ela engravidou de novo e foi igual. A diferença é que alem de bater nos gatinhos, rosnar, e gritar ela agora só fica na lage escondida embaixo do telhado, só fica suja, só desce para comer e bater nos gatos. O que pode estar acontecendo com minha gata? Não sei o que fazer!

    ResponderExcluir
  50. Olá Daniel, boa tarde. Sua gata não curtiu tem "outro felino" em casa para partilhar do mesmo teto e por isso está reagindo desta forma. Antes, ela era a rainha do lar. Queria te avisar que vacinas contra o cio são pessimas para qualquer animal seja cão ou gato pois eles podem desenvolver cancer de utero. Se vc não quer que ela procrie, castre-a de uma vez. A dosagem de hormonios desta vacina é tão grande que vc não imagina os maleficios que vc está causando a este animal, isto não é posse responsável. Existe no mercado pet um remédio chamado Feliway que tem a função de estabilizar as emoções em reações como esta de agressão a outros animais e também aos donos da casa. Se vc deixar o Feliway no ambiente que ela frequenta e até pulverizar a cama dela, pode ser que ela melhore em sua agressividade e volte ao normal. Já ouvi declarações de usuários que o medicamento é bem sucedido em casos assim. Eu confesso, que nunca precisei utilizar isto em casa. Uma outra opção (leia aqui em meus comentários) é o uso de Florais de Bach mas tem que ser manipulado, não compre formula pronta e escolha somente uma farmácia de manipulação de confiança). Nor estante, desenho que as coisas em casa se normalizem e que eu possa ter te ajudado de alguma forma. Um forte abraço

    ResponderExcluir
  51. Obrigado Angelique. Então eu fiquri sabendo dos malefícios dessa vacina a menos de 1 ano depois de já ter aplicado nela, suspendi o uso e a castra ao dela já está marcada. Mas o que realmente me preocupa é se essa agresividade não passar, afinal é filho dela e é bastante doloroso vê-la no estado em que está suja com uma fisionomia de louca mesmo. Eu queria mesmo é entender o por que disso tudo.

    ResponderExcluir
  52. Daniel, uma serie de coisas pode ter causado este trauma. Ex.: O parto, os outros gatos que foram retirados dela e doados. O apego dela a algum outro animal que nasceu que não era esse que ficou, os hormonios da vacina...enfim, a gente nunca vai saber o que se passa na cabecinha deles para estas reações. Cabe a nós cuidar deles, indefesos, da melhor forma. Tenha fé e seja paciente. Ela vai voltar ao normal. VC também diz que ela está vivendo em telhados (que pena saber disto) se ela sempre foi assim ou se fugiu e anda amedrontada por assédio também de outros felinos de rua ou a um meio a que ela não estava acostumada.

    ResponderExcluir
  53. Mas Angelique, será que a castracao dela nesse momento não a deixaria mais traumatizada? Eu também lamento muito por ela esta nesse estado quero minha gata que andava como uma Leide, que usava suas coleiras foleadas, que posava pra fotos, de volta eu estou muito mal contudo isso.

    ResponderExcluir
  54. Daniel, eu sugiro vc leva-la a um veterinariod e sua confiança, explicar tudo o que está acontecendo, verificar com ele estas possibilidades que mencionei aqui e tomar a sua decisão. Eu não posso decidir por vc, por isso te pedi tente o procedimento de usar o Feliway, o floral. Evite que ela entre em contato com o filhote, eu nãos ei como é a sua casa mas temporariamente, ate as coisas se estabelecerem e normalizarem mantenha o filhote fora do alcance dela, trancadinho em um quarto, sei lá ou arrume um outro lugar para ele em outra casa, pra ver se ela volta. Minha mãe tem um gato que acabou adotando a casa dele (fugiu da casa do dono) porque ele pegou uma gatinha paraplégica na rua para cuidar. Este gato que se chama Frederico nunca mais voltou para a casa do dono, nós que cuidamos dele na casa de minha mãe. As vezes o dono antigo passa, chama por ele, ele vai até o dono mas nunca mais voltou a morar com o dono. É um bicho manso e lindo o Frederico, vive livre. Na dele. Ama ficar na casa de minha mãe e isto já tem mais de 5 anos. Bichos reagem assim.

    ResponderExcluir

Eu, a Nina =^..^= e a Miúcha =^..^=
Adoramos sua visita e comentários.
Venha sempre que puder.