Ganhe em Dólares Sem Sair de Casa

Share Up To 110 % - 10% Affiliate Program

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

NÓS APOIAMOS O CAT LOVERS' DAY




Image Hosted by ImageShack.us

CatNews: Gato com duas caras dos EUA é o mais velho do mundo

CONWAY, Estados Unidos (Reuters) - Frank and Louie, um felino cinza com duas bocas, dois narizes e três olhos, acabou de fazer 12 anos e é o gato mais velho do mundo com duas caras. Sara Wilcox, porta-voz do Guinness World Records, disse que ele é "gato Janus que mais sobreviveu", referindo-se ao nome cunhado pelo zoólogo britânico Karl Shuker, com base no deus romano das transições e dos portões.
Frank and Louie tem uma duplicação cranio-facial, uma condição congênita extremamente rara. O transtorno, também conhecido como diprosopia, pode levar parte ou toda a face de um indivíduo a ser duplicado em sua cabeça.
Entre os gatos domésticos foram registrados vários casos, mas poucos deles sobrevivem à idade adulta, disse Wilcox.
Frank and Louie nasceu em 8 de setembro de 1999. Sua vida notável será comemorada na nova edição do Guinness World Records de 2012, afirmou Wilcox.
A expectativa de vida de um gato de duas caras é de cerca de quatro dias porque em geral eles sofrem de outros distúrbios.

Image Hosted by ImageShack.us

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Como evitar que os gatos destruam os móveis.



 Os gatos são, realmente, animais fascinantes! Asseados, muito inteligentes e mais independentes que os cães, os bichanos acabam se tornando a preferência de muitas pessoas. No entanto, quando começam a destruir móveis, tapetes e objetos da casa, a situação pode ficar um pouco complicada... Os arranhões na mobília são uma das principais queixas dos donos de felinos.
Mas, antes de saber como lidar com esse problema, é preciso entender o porque de ele acontecer.

Lixando e marcando...

Na natureza, os gatos arranham locais por dois motivos principais: para afiar suas unhas e como forma de marcar o local, deixando seu cheiro para que outros gatos percebam sua presença. Ou seja, os arranhões também são uma forma de comunicação que o felino herdou de seus ancestrais e, em casa, essa necessidade permanece. O gato, então, busca o local mais atraente, com boa altura, para que ele possa arranhar em várias posições e com um material atrativo, como madeira ou superfícies como carpetes e sofás.

O que fazer?

Primeiramente, é preciso entender que arranhar faz parte da natureza do bichano, e ele não deve ser privado de seguir seus instintos. Por isso, o ideal é redirecionar este comportamento...
Uma maneira muito eficaz de fazer isso é fornecer ao gato um arranhador próprio para ele – existem diversos modelos no mercado pet, com altura e materiais diversos. É aconselhável colocar o arranhador bem próximo do objeto que o gato estava arranhando antes, para que ele fique interessado em interagir com o "novo objeto". Para incentivar o uso do arranhador o dono também pode passar substâncias atrativas no objeto, como o cat nip – encontrado em pet shops – que incentiva o felino a usá-lo.
Alguns gatos também adoram destruir caixas de papelão, que podem ser uma boa opção para enriquecer o ambiente dos felinos.
Entretanto, além de oferecer outras alternativas para o bichano arranhar, é importante diminuir a atração que o felino tem pelo móvel que costumava arranhar, deixando o local desconfortável para ser arranhado.
Cobrir o objeto com um plástico ou usar uma fita dupla-face pode ajudar bastante a evitar que o gato se interesse em arranhar ali novamente.

Sem broncas

E, quando falamos em gatos, é preciso ter sempre muito cuidado ao dar broncas, já que os bichanos tendem a ser bem mais sensíveis do que os cães, e podem ser bem insistentes no comportamento errado, ou até ficarem agressivos e arredios. Além disso, a bronca pode reforçar o comportamento se o gato entender que toda vez que ele arranhar alguém aparece para falar com ele.

Manicure

Muitos bichanos aumentam o comportamento de arranhar quando suas unhas estão compridas. Dessa forma, manter as unhas do felino sempre aparadas também pode ajudar. Mas, lembre-se que alguns gatos não gostam de cortar as unhas, e o corte errado das garras pode ferir o animal. Para este procedimento, conte com o auxílio de um profissional!
Importante: em casas com mais de um gato, há uma tendência natural que eles arranhem mais. Por isso, nesses casos, utilize vários arranhadores em locais diferentes da casa para dar opções para todos os bichanos poderem arranhar à vontade, nos lugares adequados para esse comportamento.
Artigo do Dr. Alexandre Rossi
Image Hosted by ImageShack.us

domingo, 11 de setembro de 2011

Donos de gatos estudam mais do que os de cachorros


Uma pesquisa da Universidade de Bristol, na Inglaterra, é um novo capítulo da guerra entre cães e gatos. Ou melhor, entre donos de cães e gatos. O estudo avaliou 2.524 casas e constatou que, em 47% das que tinham gatos, morava pelo menos uma pessoa com ensino superior completo. Mas o número caía para 38% quando o animal doméstico era um cachorro.
Aí vem a explicação: a hipótese dos pesquisadores é que o excesso de trabalho, possivelmente associado a empregos mais qualificados (por sua vez, resultados de uma formação superior), torna ter um cachorro meio impraticável — afinal, eles exigem mais atenção do que os felinos.

Fonte: Revista Super Interessante
Image Hosted by ImageShack.us