Ganhe em Dólares Sem Sair de Casa

Share Up To 110 % - 10% Affiliate Program

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Guia de Primeiros Socorros para Cães e Gatos


Você sabe avaliar quando seu cão está com febre? Qual o batimento cardíaco normal de um gato? Quem tem um animal de estimação em casa precisa estar atento ao seu comportamento. Falta de apetite e apatia, por exemplo, podem esconder diversas doenças. Isso sem falar nos acidentes e imprevistos tão comuns na vida dos pets.

Para ajudar os donos na hora de uma emergência e evitar o tempo perdido com medos e indecisões – que podem até ser fatais para os animais – a americana especializada em medicina de emergência Amy D. Shojai, que já publicou 12 livros sobre animais de estimação, escreveu Primeiros Socorros para Cães e Datos (Gutenberg Editora, R$ 49,90, 432 páginas), que acaba de ganhar uma versão em português.

No livro, a autora mostra técnicas de imobilização e de ressuscitação cardiopulmonar, dá dicas de quais e em que quantidades os remédios para humanos podem ser usados nos animais e ensina como avaliar os principais sinais vitais de cães e gatos (confira quadro no final desta reportagem).

O guia ainda lista um kit de primeiros socorros que a pessoa deve ter em casa. Entre os materiais sugeridos pelo livro, estão tesouras sem pontas (para curativos), focinheira, termômetro clínico, tosquiador elétrico (para aparar pelos em volta de feridas), plástico bolha (para tala de imobilização) e soro fisiológico (para limpar feridas).

A veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Adriana da Costa Val, que participou da revisão de conteúdo para a versão em português da publicação, afirma que o livro deve ser visto como um meio de orientação para os donos, mas não deve substituir a avaliação e os cuidados de um profissional.

Adriana diz que alguns procedimentos que estão no guia podem ser ensinados no consultório e repetidos em casa pelo dono do animal, como a limpeza das orelhas e a medição da temperatura, por exemplo. Mas é preciso cuidado. “A temperatura é medida através do reto, o que pode causar incômodo ao animal se não for feito corretamente”, alerta Adriana.

De acordo com a veterinária, as regras básicas para a boa saúde de seu bicho de estimação são oferecer água fresca e comida de boa qualidade, não deixar objetos perigosos ao alcance deles (canetas, remédios, produtos de limpeza) e analisar se o ambiente onde ele costuma ficar é realmente seguro. O check-up de saúde deve ser feito a cada seis meses e as principais vacinas devem ser atualizadas uma vez por ano.

Publicado por: Revista Época
Image Hosted by ImageShack.us

terça-feira, 29 de junho de 2010

CatNews: Gato Oscar recebe patas biônicas em cirúrgia pioneira


O gato britânico Oscar juntou-se a um grupo muito seleto:
é um dos raríssimos animais com membros biônicos,
especificamente as duas patas traseiras que lhe tinham sido decepadas num acidente.


A intervenção cirúrgica — pioneira — colocou nas pernas do gato umas cavilhas metálicas que ligam os tornozelos a patas protésicas e simulam a forma como as armações dos veados crescem sob a pele. A operação foi feita pelo veterinário Noel Fitzpatrick e é narrada no documentário da BBC The Bionic Vet (veja o vídeo aqui).

Oscar sofreu um acidente com uma debulhadora em Outubro, quando estava deitado ao sol numa quinta das British Channel Isles. Os donos levaram-no ao veterinário local, que recomendou a intervenção do cirurgião veterinário Fitzpatrick.

Com a ajuda de peritos em engenharia biomédica, foram criadas as patas falsas de forma a ficarem ligadas ao osso e à pele. “Isto permite que o implante funcione como um pêndulo na base dos membros do animal, dando-lhe um movimento normal”, descreve o veterinário. “O Oscar pode agora andar e saltar tal como os outros gatos”.

A tecnologia usada — próteses de amputação intraósseas e transcutâneas (Itap) — está a ser testada em humanos e já foi utilizada para criar um braço para uma mulher, ferida nos atentados à bomba de Londres, em 2005.

Publicado pelo jornal Português Público
Image Hosted by ImageShack.us

domingo, 27 de junho de 2010

Phebo agora faz parte da Constelação de São Chiquinho

Querido Phebo,

Deixamos a você aqui, a nossa enorme saudade.
Que triste saber que vc já não está mais entre nós.
Sabemos que vc está no paraíso dos animais agora.
Um lugar perfeito e cheio de amiguinhos para te encantar nesta sua nova vida.

Que São Chiquinho te abrace muito forte e que vc seja muito feliz,
Porque você nos fez muito feliz durante os 15 anos que te tivemos ao nosso lado.
Você jamais sairá de nossa memória.

Saudades Forever

Tia Angélica, Nina e Missy
Image Hosted by ImageShack.us

sábado, 12 de junho de 2010

Chica: Nossa prima quase humana

Oi tios, oi tias. Há algum tempo atrás, mencionamos aqui sobre esta prima muito especial. Ela está na família há mais de 30 anos e hoje ela deve ter aproximadamente 46 anos de idade. Ela foi encontrada quase morta por nossa bisa que cuidou dela desde pequenininha e aí foi ficando, ficando e hoje ela tem um canto (jaula) enorme, especialmente feito pra ela num sítio delicioso, cheio de passarinhos e árvores frutiferas. Seu nome é Chica.

Chica adora escarola, cabelo de milho, ovo de codorna cru, maçã, mamão e muitas outras frutas. Vejam como ela é adorável.



Lambeijos nossos: Nina e Missy
Image Hosted by ImageShack.us

Love Is In The Air

Photobucket
A FITA MÉTRICA DO AMOR

Como se mede uma pessoa? Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.

Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.

Photobucket

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.

Martha Medeiros

Feliz Dia dos Namorados a você também!
Photobucket
Image Hosted by ImageShack.us

quinta-feira, 10 de junho de 2010

CLAMIDIOSE FELINA


Olá seguidores,

Tenho recebido muitos comentários, principalmente neste período de outono/inverno, sobre doenças oculares nos felinos, já citada anteriormente aqui e também aqui.

Fui em busca de maiores informações e posto mais este informativo. Espero que possa ajudar um pouco mais em orientações a vocês, lembrando sempre que o melhor mesmo é uma boa visita ao veterinário para uma checagem geral no seu felino querido.

Clamidiose Felina

Chlamydia psittaci foi isolada pela primeira vez em 1942 nos Estados Unidos. Essa foi a primeira patogenia respiratória isolada de um gato.

Chlamydia sp pode ser encontrada em combinação com herpesvirus felino e calicivirus felino. As observações clínicas indicam que a clamidiose é uma doença primariamente conjuntival, podendo evoluir para doença respiratória.

PATOGENIA E SINAIS CLÍNICOS:

A Chlamydia sp se multiplica no citoplasma das células do epitélio conjuntivo, causando a sua ruptura e liberando organismos que irão infectar outras células epiteliais. Os gatos adultos podem apresentar a infecção, porém a doença aparece mais freqüentemente em filhotes e gatos jovens. Os filhotes são mais afetados entre 1 mês e três meses de idade, e podem apresentar episódios recorrentes de conjuntivite. O período de incubação pode chegar a 10 dias. No início apresenta-se somente uma leve descarga ocular serosa e blefaroespasmo, evoluindo para uma descarga ocular purulenta bilateral, corrimento nasal também purulento e espirros ocasionais. A hipertermia pode estar presente durante vários dias no estágio inicial. A conjuntivite pode persistir por 2 meses ou mais. Viroses respiratórias podem agravar o quadro de infecção por Chlamydia sp e concomitantemente agravar a conjuntivite. A infecção por Chlamydia sp já foi relatada em mucosa gástrica e trato genital, mas o significado clínico permanece desconhecido.

EPIDEMIOLOGIA:

A clamidiose é transmitida entre os gatos por contato direto com as descargas nasais e conjuntivais . A Chlamydia sp pode também ser excretada através das fezes e fluidos vaginais.

DIAGNÓSTICO:

O diagnóstico pode ser realizado através de culturas de swab conjuntival, teste de ELISA e pesquisa de anticorpos, além da observação clínica e histórico do animal.

TRATAMENTO:

As tetraciclinas são consideradas as drogas de eleição para o tratamento da clamidiose felina. A doxiciclina, recentemente introduzida no meio veterinário, apresenta a vantagem da aplicação única ao dia. A antibioticoterapia deve persistir por 2 sema- nas após o desaparecimento de todos os sintomas. Se o animal afetado estiver em contato com outros gatos, todos os contactantes deverão receber o mesmo trata- mento.

PREVENÇÃO:

Um manejo adequado deve ser seguido para prevenir a infecção local por Chlamydia sp. Todos os animais novos que serão introduzidos em um ambiente contendo outros gatos deverão passar por um isolamento de pelo menos 6 semanas.

Uma vez que a epidemia se instalou no ambiente, a infecção pode persistir por meses ou anos.

CONTROLE:

1. Tratamento de todos os animais infectados e contactantes.

2. Vacinação - Vacina quádrupla felina.

3. Manejo adequado e boa higiene geral.

Fonte: Redevet
Image Hosted by ImageShack.us

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Missy em : Nada como uma boa escovada nos pêlos

Esta garotinha adora uma escovada legal. Tanto é que se largar a escova pelo chão lá vai ela correndo! Ela não é uma beldade!



Image Hosted by ImageShack.us

domingo, 6 de junho de 2010

Feliz Aniversário Meu Amor!


Mais um ano em sua companhia
Eu sei, é o seu aniversário
Mas quem comemora cada segundo
A teu lado
Sou eu.

Eu que deixei de contar as horas
E apenas vivo intensamente
Cada ronronar seu,
Cada miadinho,
Cada olhar de pedido de colo,
Cada estripulia sua.

Você que mesmo com o passar dos anos
Parece ter mais vigor e alegria
A cada dia que passa.
É exigente...
É ciumenta...
É independente...

E quer saber de algo?
Eu amo ser seu brinquedo favorito
Sou totalmente dependente de você!

Você faz parte de todas as melhores
e piores fases que já vivi
E teu carinho
Nunca me deixou.

Eu te amo Dodô!
Hoje e Sempre!
Feliz Aniversário
Image Hosted by ImageShack.us

Nina em: hora do banho

Image Hosted by ImageShack.us

quarta-feira, 2 de junho de 2010

CatNews: Gatos 'twittam' a partir de dispositivo pendurado no pescoço

A Sony apresentou um novo dispositivo que permite que gatos possam “falar” sobre seus hábitos no Twitter. Desenvolvido pelo Laboratório de Ciência da Computação da companhia (CSL, na sigla em inglês) em parceria com a Universidade de Tóquio, no Japão, o aparelho está equipado com câmera, sensor de aceleração e GPS, entre outros recursos, para gravar as atividades de um gato.

Com os dados coletados na combinação desses recursos, o dispositivo deduz as atividades feitas pelo gato, como caminhar, dormir e comer, por exemplo. As informações são então transmitidas por Bluetooth para o computador e postadas no Twitter.

Com o dispositivo, é possível postar um comentário automático do tipo “Isso é gostoso” quando o gato estiver comendo algo, por exemplo.

No momento estão disponíveis apenas 11 frases que podem ser postadas no Twitter, mas a equipe da Sony envolvida no projeto espera aumentar esse número em breve, além de incluir um recurso que permita alterar os comentários de acordo com a ação anterior do animal. “Por exemplo, se um gato ficar andando após comer, um comentário do tipo ‘As refeições têm um gosto melhor depois de uma caminhada’ poderá aparecer no Twitter”, disse a empresa, de acordo com o site “Tech-On!”.

Para que os gatos não estranhem ou se recusem a usar o adereço, o CSL da Sony desenvolveu o dispositivo nos moldes de um colar – ou coleira –, que tem no máximo 5% do peso do "gato-cobaia".

“Se for colocado na mesma posição que um colar, a maioria dos gatos não se recusa. Quando é colocado em outras partes, como as costas, os gatos vão se recusar a usar e tirá-los de lá”, avaliou o CSL da Sony.

Além disso, o dispositivo é capaz de reconhecer outros gatos a partir de imagens captadas pela câmera embutida no aparelho, que são comparadas com outras fotos de felinos usadas como referência no experimento.

Publicado por :G1 - Globo.com

Image Hosted by ImageShack.us